Governança de TI

Sobre a Governança de TI na UNIPAMPA

Conforme a Nota técnica nº7 de 2014 da Sefti/TCU, é necessário o “estabelecimento de um sistema de governança de TI, de forma a prover uma organização básica de estruturas, políticas, princípios, processos, entre outros elementos necessários para que as organizações públicas dirijam adequadamente a gestão e o uso atual e futuro da TI na organização”.

Logo, o objetivo final da Governança de TI é promover o constante alinhamento da TI aos objetivos finais da instituição. Para tanto, oferece uma perspectiva “superior” das atividades da TI, abstraindo detalhes técnicos, simplificando a visão dos fatos, exibindo os riscos envolvidos e maximizando o investimento realizado.

Considerando os crescentes desafios de oferecer cada vez mais serviços digitais com investimentos limitados, a Governança de TI permite priorizar esse investimento, além de maximizar sua utilização. Por isso, Governança de TI agrega valor à organização.

A conformidade legal recebe crescente destaque na Administração Pública Federal. Nessa perspectiva, atividades como avaliação de Contratação de bens e serviços de TI (Instrução Normativa 04), Segurança da Informação e Gestão de Riscos (Instrução Normativa Conjunta CGU/MP Nº 001) fazem parte do escopo da atuação da Governança de TI.

A estruturação da Coordenadoria de Governança de TI foi uma resposta da UNIPAMPA aos apontamentos realizados após reiteradas fiscalizações do Tribunal de Contas da União (TCU), Corregedoria Geral da União (CGU) e Advocacia Geral da União (AGU); que exigiam maior grau de controle das operações TI.

Finalmente, a Governança de TI não existe apenas para monitorar o presente, mas também para pavimentar o caminho de uma universidade pública gratuita e sustentável, onde um número maior de pessoas possa ter participação inclusiva no processo de construção de um mundo digital.

“A governança garante que as necessidades, condições e opções das Partes Interessadas sejam avaliadas a fim de determinar objetivos corporativos acordados e equilibrados; definindo a direção através de priorizações e tomadas de decisão; e monitorando o desempenho e a conformidade com a direção e os objetivos estabelecidos”
Fonte: COBIT 5